MENU

É altura de novos projetos de mostrar o mundo e não só, apesar de estarmos limitados por causa do que estamos a viver, ainda temos opções.

Podia ter escolhido um tema especifico, mas decidi não ter tema ou seja, registar tudo o que tenho visto ao longo destes meses.  Em vez de ficar influenciado pelas as noticias, decidi voltar ao básico. Ou seja aproveitar a vida e o tempo, coisa que normalmente não valorizamos, temos sempre aquela expressão depois faço mais tarde eu faço. Tenho fotografei a  praia das bicas, mas sempre em rolo e dizem vocês, porque em rolo? Não terás perdido a cabeça, neste momento estares a gastar dinheiro em rolos. Vamos lá, primeiro por partes não é gasto é investimento, estou a contar histórias e ao mesmo tempo aumentar o meu espólio. Depois nesta época as imagens que estou a criar a criar, podem ajudar as pessoas a passar o confinamento.  É nesta altura que muita gente vê a importância da cultura de um povo, imaginem estar em confinamento sem ter música, livros, fotografia e filmes. É tempo de criar de nós reinventar, quem vai sobreviver serão aqueles que se adaptam e não param de evoluir. Mas acima de tudo que conseguem criar apesar das dificuldades. Quando fazemos as coisas com o coração, isso  nota-se aí vai se ver a excelência, não estamos a espera  da recompensa monetária , mas sim querer mos evoluir. Dificuldades sempre vamos ter, podemos baixar os braços ou continuar a construir o nosso caminho.  Não podemos  é pensar que quando tiver isto ou aquilo  depois é que faço X. Não pelo contrario devemos viver o agora.  E continuar a sonhar com os nossos objetivos e tomar ação. Com isto tudo fez me lembrar dos meus companheiros de aventuras, irmos antes do nascer do sol fazer umas imagens que ainda estão tão presentes  na minha memoria. Atualmente estamos habituados a fotografar e mostrar logo ou enviar para alguém.

Entretanto perdemos a magia e nem valorizamos o momento, essa  foi uma das razões para voltar a pelicula. Quando fotografo em rolo demoro mais, aprecio as nuvens os raios de sol e não estou  inseguro se tenho a imagem, como a geração de hoje.

Depois quando revelo os rolos tenho aquela sensação de um artesão que acabou de criar a sua peça. Não sei mas abrandar-mos faz nos aproveitar mais a vida.  A vida é uma maratona, não é uma corrida.

  

Comments
Add Your Comment

CLOSE