A fotografia analógica ainda não morreu

 

Negativo ainda está vivo e com muita boa definição, algo que o digital ainda não conseguiu superar.

Cada vez mais vejo as pessoas querem 300 a 400 fotos digitais, mas não pensam na qualidade só pensam na quantidade. Em plena era digital voltei a pegar a minha hasselblad e a fotografar em filme, desde dos slides, negativo de cor ao preto e branco.

O que notei claro foi voltar a parte magica da fotografia, simplesmente só tenho 12 fotos 6×6 demoro muito mais a fotografar, mas soueu a fazer tudo… Quando digo fazer tudo é medir a luz, manual, compensar a luz enquadrar numa maquina que não têm prisma e depois fazer o tal disparo, aquele que vai perseverar a memoria ou historia de alguém. O que comecei a reparar é que as pessoas fotografadas começaram a dar mais valor ao meu trabalho, porque não é algo instantâneocomponho e click e só depois acontece a magia na revelação é que vemos o resultado e o que eu vejo é o ar das pessoas com ar espantando na qualidade, que o digital ainda não consegue. Não há nada melhor que usarmos um rolo 120mm e vermos um negativo revelado e zás tudo focado e um grande recorte, isto tudo para dizer simplesmente que devagar é presa as vezes. Apesar de estar limitado a nível de disparos tenho ficado mais satisfeito com as imagens capturadas com negativo do que com as com sensor digital.