Olivier & Andreia Rolo

Começa-mos por explorar as Hortas em Alcochete sentia-se o calor no rosto. Aos poucos preparei o Olivier e Andreia para a sessão de namoro.  Pedi para que esquecem sem que eu estava ali, falam se um com outro e trocassem caricias.  Aos poucos íamos fazendo algumas fotos  que celebrasse o amor deles um pelo outro.  Continua-mos a  caminho do pontão de Alcochete para  aproveitar a beira rio e  fizemos umas fotos com os barcos. Ao longo da sessão o casal começou a ficar mais a vontade com minha presença e ia trocando uns sorrisos. Sem saber pedi para irmos fazer umas fotos com moinho e sem crer acertei no sítio onde o Olivier levou pela primeira  vez Andreia a passear, um local marcante na sua relação. Termina-mos a sessão com um por de Sol radiante nas nossas costas. 

Está sexta será  um dia muito importante para casal.

Está semana entra-mos em contagem decrescente para o dia do casamento.

Não percam sexta-feira os preparativos do casamento.

casamento em Alcochete
Love in Alcochete
love boat
love picole
love in Hortas
Casal na casa de madeira
casal namor na margem do Tejo
carinho entre casal
couple love
sessões de namor
Casamentos Sétubal
namorar em Sétubal

Sessão de Namoro Andreia & Olivier

No dia 9 fui explorar a zona de Alcochete para fazer a  sessão de namoro da  Andreia e do Olivier. Rumamos em direcção  ao Sítio das Hortas onde caminha-mos na margem do rio Tejo, aproveita-mos o rio como pano de fundo e lá fomos explorando a paisagem que nos rodeava.

De seguida fomos a um dos moinhos em Alcochete onde quisemos registar um dos locais importantes para casal, sem querer  escolhi o um local onde foi o primeiro passeio dos namorados.

Terminamos a sessão no pontão de Alcochete com surpreendente por do sol.

Olivier Andreia.jpg
couple.jpg
sitio das hortas.jpg
Love Boat.jpg
house love.jpg
Love in Alcochete.jpg
Amor no sitio das hortas.jpg
farol alchete love.jpg
Moinho Alcochete love.jpg

Sessão de Namoro Marisa & Diogo

Ontem foi o dia da sessão de namoro da Marisa e do Diogo. Rumamos em direcção  a Setúbal e apanha-mos o barco para Troía  visitamos   três pontos, ainda que não sejam os mais reconhecidos, são identidade da comporta e e da sua relação com a tranquilidade do campo e do mar. O casal vestiu-se a rigor e entrou no espírito romântico da sessão, entre as dunas o arrozal até ao cais palifítico.

O contraste entre os vários locais é bem visível onde vemos um casal agir naturalmente na sua sessão. 

namoro.jpg
Engament.jpg
Marisa Diogo
comporta engament .jpg
cais palafitico.jpg
cais palafitico love

Sessão Susana e André - ROLO

Como não podia deixar de ser, a sessão de namoro da Susana e do André contou com a técnica da fotografia analógica. A utilização de película torna o momento ainda mais mágico. É um processo que regista a luz em sais de prata, de facto, é mesmo um congelamento físico da luz daquele enquadramento. A paciência do casal com a preparação manual dos parâmetros da câmara, desde a medição de luz à focagem, definem o ritmo singular da sessão. A textura, a definição, a cor, o recorte, enfim... tudo o que a película nos dá é magia.

Susana  & Andre
D1000009-2.jpg
Susana & David
Susana & Andre
Susana & André
Susana & Andre
Susana & Andre
Susana & André
Susana & Andre
Susana & Andre

Baptizado da Leonor

Hoje foi o dia de tradições e memória, o dia da Leonor. O reino dos céus abre as portas para dar vida à menina que os seus pais desejaram. O pai Nuno, católico e praticante, teve o orgulho de ter a sua filha baptizada. A mãe Ana orgulha-se  de ter uma menina que não chorou no momento em que a água do baptismo lhe tocou no corpo. Um dia em cheio com a presença de familiares e muitas crianças. Um dia para a Leonor, a Ana e o Nuno recordarem. Um dia de memória e de passagem de tradição. Felicidades!

_AR_5488.jpg
_AR_5515.jpg
_AR_5492.jpg
_AR_5747.jpg
_AR_5806.jpg
_AR_5950.jpg
_AR_5954.jpg

Susana & André

Não é por acaso que o senhor tempo faz uma pausa da chuva. Hoje foi o dia da sessão de namoro da Susana e do André. Um passeio por Lisboa marcado em três pontos, ainda que não sejam os mais reconhecidos, são identidade da cidade e da sua relação com o rio. O casal vestiu-se a rigor e entrou no espírito romântico da sessão. São noivos que vão casar daqui a duas semanas, e nós lá estaremos para fotografar a sua união.

As cores e as texturas, o décor e s protagonistas, transportaram a fotografia para um universo onde parece que nada é ao acaso. Todos elementos estão em perfeita harmonia. Até já Susana e André. Lá estaremos, e o senhor Sol também!

couple
namorados abraçados
Susana & Andre (134 of 179).jpg
couple
Susana & Andre (13 of 179).jpg
Susana & Andre (63 of 179).jpglove es
Susana & Andre (118 of 179).jpg
Susana & Andre (149 of 179).jpg

Finalmente chegou o dia da Vânia e do David

Não há duas sem três! Este é o momento da Vânia e do David… e da Carolina. É o dia desta equipa e dos seus. A festa e o convívio são o ponto forte desta união e da passagem de tradições. Neste dia é celebrado o baptismo da Carolina, mas é também o dia dos papás. É por isso mesmo que também devemos dar destaque à união e cumplicidade do casal. Estas imagens refletem a boa disposição do amor que há neles e, sobretudo, a amizade que eles têm entre si. São um casal aventura, preparados para os desafios da vida. Gratos pela vossa preferência, sejam felizes!

 

shoes
botoes de punho
vestido
David
couple
_AR_4266.jpg
kiss
_AR_4821.jpg
_AR_4860.jpg
_AR_4826.jpg

Preparativos do Baptizado da Carolina

Hoje é o dia da Carolina! É o dia dos pais da Carolina! É o dia de toda a família e amigos que acompanham a vida deste trio. Juntar dois momentos em um dia só leva a emoção ao mais alto nível. Baptizado e Casamento. É com a sua boa disposição que tudo se torna possível em família.  Uma festa em grande!

 

E como nada pode faltar, os pais começam a organizar os preparativos para o baptismo da filha, com muito carinho, dedicação e, sobretudo, com amor.

Carolina
vestido Baptismo
Vela Baptismo
vestido Baptismo
Sapatos Baptismo
Concha Baptismo

Vânia e David

A fotografia em película permite obter um resultado único. Sabemos que há um limite de fotografias para fazer e depois o rolo acaba, mas a alma da imagem perdura no rolo. É com a película que mostramos o nosso valor ao cliente, que não há margem de erro, que sabemos como devemos medir a luz, como devemos colocar os sujeitos, ou como devemos enquadrar. Tudo tem de resultar à primeira. Neste caso, fomos aprovados pela Vânia e pelo David, e tudo resultou… Logo à primeira!

david&vania (11 of 12).jpg
david&vania (1 of 12).jpg
david&vania (5 of 12).jpg
david&vania (8 of 12).jpg
david&vania (7 of 12).jpg
david&vania (2 of 12).jpg
david&vania (12 of 12).jpg

Vânia e David: Amor ao anoitecer

A Primavera deu-nos um desconto da chuva e trouxe-nos o dia perfeito para a sessão de namoro da Vânia e do David. Desta vez, o amor chamou-nos a Samora Correia, onde este casal prepara o casamento já para o final de Maio. Como não podia deixar de ser, visitámos alguns dos sítios mais característicos da cidade e dos arredores para fazer as fotografias e o vídeo de making of desta sessão. A magia da luz na água dos arrozais é imperdível e, quando o sol se pôs, o romantismo do coreto foi o palco perfeito para os protagonistas do dia.

Como podem ver, o resultado foi uma sessão fotográfica que teve tanto de tradicional como original. Criámos tanta cumplicidade com este casal que acabámos por nos aventurar e explorar sítios que fazem parte da história de Samora e das pessoas que lá vivem, edifícios carregados de dramatismo, e que fizeram destas fotos uma verdadeira encenação.

david&vania (3 of 12).jpg
david&vania (1 of 12).jpg
david&vania (4 of 12).jpg
david&vania (5 of 12).jpg
david&vania (8 of 12).jpg
david&vania (2 of 12).jpg
david&vania (10 of 12).jpg
david&vania (7 of 12).jpg
david&vania (9 of 12).jpg
david&vania (6 of 12).jpg
david&vania (12 of 12).jpg
david&vania (11 of 12).jpg

Estação Imagem: todos os caminhos vão dar à fotografia

Coimbra recebeu mais uma edição do Prémio internacional de fotografia Estação Imagem, que se estreou a 17 de Abril e se prolonga até 30 de Maio. A decorrer em vários espaços da cidade, trata-se de um evento que reúne alguns dos mais conceituados fotógrafos e fotojornalistas mundiais para promover a fotografia documental.

Michael Nichols  exhibition produced with the support of canon et visa pour l'image

Um dos momentos mais altos do certame é a exposição Uma Vida Selvagem / A Wild Life, de Michael Nichols, uma referência da fotografia animal e natureza no seu estado mais selvagem. A exposição que agora se apresenta ao público é o resultado da sua última parceria com a National Geographic.

Um dos momentos mais altos do certame é a exposição Uma Vida Selvagem / A Wild Life, de Michael Nichols, uma referência da fotografia animal e natureza no seu estado mais selvagem. A exposição que agora se apresenta ao público é o resultado da sua última parceria com a National Geographic.
Um dos momentos mais altos do certame é a exposição Uma Vida Selvagem / A Wild Life, de Michael Nichols, uma referência da fotografia animal e natureza no seu estado mais selvagem. A exposição que agora se apresenta ao público é o resultado da sua última parceria com a National Geographic.

Na cerimónia de atribuição dos Prémios de 2018, que decorreu a 21 de Abril na antiga Igreja do Convento de São Francisco, foram contempladas várias categorias desde o fotojornalismo, ao retrato, do desporto às artes, à documentação de assuntos e temas sociais e políticos. E porque o fotojornalismo é escrever a História, os premiados não puderam excluir os fotógrafos que captaram a devastação que os incêndios causaram em Portugal. Os jurados foram Santiago Lyon, Presidente do júri e director de conteúdos da Adobe em fotojornalismo, Sara Naomi Lewkowicz, fotojornalista cujo trabalho incide sobre a violência doméstica e famílias LGBT, Tanya Habjouqa, fotógrafa documental especializada em temas sociais e de género no Médio Oriente, e Marco Longari, fotojornalista da AFP responsável pela fotografia para toda a África. Todas as fotografias vencedoras podem ser vistas (ou revistas) na Galeria Pedro Olayo (filho) de 2 de Junho a 10 de Julho.

 Marco Longari, Santiago Lyon, Tanya Habjouqa, José Ribeiro

Marco Longari, Santiago Lyon, Tanya Habjouqa, José Ribeiro

 Sara Naomi Lewkowicz, Marco Longari, Santiago Lyon, Tanya Habjouqa , José Ribeiro

Sara Naomi Lewkowicz, Marco Longari, Santiago Lyon, Tanya Habjouqa , José Ribeiro

O fotógrafo, e jurado, Marco Longari é o autor da exposição Até à Morte, patente até 27 de Maio na Galeria Pedro Olayo (filho) no Convento de São Francisco. O autor retrata alguns dos momentos mais duros e sanguinários da sociedade política em África, em que a incerteza de chegar ao dia de amanhã é a única constante. “A violência ofusca o discernimento”, afirma. Porém, as palavras de um manifestante resumem a energia que os sustém “até ao fim. Até à morte”.

Exposição de Marco Longari
Exposição de Marco Longari

Para além da atribuição dos Prémios, este evento promove também várias iniciativas de divulgação e aproximação à fotografia enquanto género documental e artístico: visionamento de documentários e slideshows de fotojornalismo, conferências e workshops. O fotógrafo José Pedro Ludovice Santa-Bárbara, por exemplo, orientou um workshop de retrato num projecto de integração e solidariedade social em que os sujeitos retratados foram idosos de lares da cidade de Coimbra.

Workshop de Retrato
Workshop com Santa Barbara

Dentro de todas as exposições que se podem visitar, destacam-se as Viúvas de Amy Toensing, que podem ser visitadas até 30 de Maio na Galeria Pinho Dinis - Casa Municipal da Cultura. Longe dos olhares da cultura ocidental, há sociedades em que a viuvez é a morte social das mulheres, porque o seu papel é definido pelo marido. Marginalizadas, despojadas da sua vida e família, estão condenadas à morte ou ao isolamento para o fim da vida. No entanto, as novas gerações estão a dar início a uma mudança profunda e, uma vez que os assuntos femininos estão em aberta discussão, esta é uma exposição de particular pertinência.

Exposição Amy Toensing
Exposição Amy Toensing
Exposição Amy Toensing

Na exposição Cristãos no Líbano, a violência deu origem a um retrato deste país que ainda não existia. Patrick Baz abandonou a carreira como fotógrafo de guerra e decidiu regressar ao Líbano, a sua terra natal, só para se encontrar novamente em zona de conflito: grupos islâmicos massacravam cristãos e outras minorias religiosas. E as vítimas olhavam para ele, talvez por ter sido fotógrafo de guerra, em busca da resposta à questão “Será que vamos ter de sair daqui?”. Se é verdade que situações de desespero revelam o pior da humanidade, também podem revelar esperança, devoção e fé que se traduziam em manifestações religiosas crescentes. E isso fez Baz perceber que “não havia um testemunho visual dos Cristãos no Líbano no Século XXI”. Esta exposição é esse testemunho, humano, sem julgamentos, de alguém que se reencontrou com o seu país.

exposição Cristãos no Líbano
exposição Cristãos no Líbano

A Estação Imagem é uma associação cultural sem fins lucrativos criada em 2007 que tem como finalidade estudar, debater e divulgar todos os aspectos da imagem, com particular incidência na fotografia, atribuindo duas bolsas anuais, editando livros, produzindo exposições e criando acervo. Esta é a única entidade em Portugal a organizar anualmente um prémio internacional de fotojornalismo, aberto a fotojornalistas portugueses, dos PALOP e da Galiza, assim como a estrangeiros aí residentes.

Foi um privilégio estar entre colegas e amigos, e contribuir para o sucesso de mais uma edição deste evento.